Quando o sonho vira doença

Tentar alcançar o peso e as medidas das musas magras e saradas é difícil, trabalhoso, em geral frustrante, mas quase sempre inofensivo.

Tentar alcançar o peso e as medidas das musas magras e saradas é difícil, trabalhoso, em geral frustrante, mas quase sempre inofensivo. A partir de certa fronteira, porém, a busca da magreza extrema esbarra em um mundo muito mais sombrio e atormentado: o das vítimas de distúrbios alimentares. uma espécie de comunidade secreta que cada vez mais usa a internet como um canal interno de comunicação. Ao contrário do colorido Instafit, esse não é um lugar de gente bonita — as meninas têm o rosto emaciado, cabelos quebradiços. costelas à mostra. Mesmo assim, cada quilo perdido é postado e elogiado em fotos que revelam a triste realidade de quem sofre de bulimia (comer muito e vomitar em seguida) e anorexia (deixar de comer). 4`Não posso dizer que fiquei doente por causa do Instagram. mas com certeza ele entrou na fórmula que me levou a ser internada no Hospital das Clínicas, há um ano, com apenas 30 quilos. Cada vez que expunha meu corpo emagrecido como um troféu, era aplaudida por gente doente como eu", conta a publicitária paulista Amanda Melito, de 28 anos, 1,58 metro. Ela convive com a anorexia desde os 14, passou três meses hospitalizada no ano passado e até hoje tem acompanhamento semanal com psiquiatra e nutricionista.